[Confira][7]

Destaque
featured

Julian Lemos grava áudio rebatendo polêmicas geradas em cima de falas que segundo ele foram tiradas de contexto e gravadas de forma leviana.

O deputado federal Julian Lemos (PSL-PB) divulgou através do Whatsapp, um áudio comentando as polêmicas recentes, entre alas diferentes do governo. O parlamentar falou sobre as desavenças dentro do partido, das gravações internas feitas de forma leviana e que teriam sido divulgadas fora de contexto. Por fim, o deputado reiterou seu apoio ao governo do presidente Jair Bolsonaro. Confira os principais destaques:

SUPOSTA LISTA DE TRAIDORES:

“Essa lista, ninguém tem dúvida, foi feita por pessoas em torno do presidente para macular aquelas que, realmente, de alguma forma, incomodam alguns interesses e geram ciúmes em algumas pessoas. Graças a Deus que em 24horas isso foi desmentido pelo presidente”, destacou.

SUPOSTA VENDA DE LEGENDA:

O advogado do presidente da república, Admar Gonzaga, fez uma declaração polêmica ao insinuar que o (PSL) vendia legendas em alguns estados.

“Eu o desafiei a mostrar provas em até 24 horas. O mesmo em nenhum momento apresentou prova alguma, ficando provado o quanto ele é caluniador e um advogado desmoralizado”, rebateu.

CASO ARACAJÚ:

O fato ocorreu durante uma reunião com grupos de apoiadores em Aracajú, Julian Lemos foi gravado sem autorização e, um trecho desse material, foi amplamente divulgado, onde supostamente Julian teria debochado da facada que quase matou Bolsonaro.

“Algumas pessoas se dizem de direita, mas se tornaram uma milícia pior do que o PT, eu fiz apenas uma ilustração ao dizer que o presidente sobreviveu a uma facada física, enquanto que eu  tenho sobrevivido a inúmeras facadas morais todos os dias, a exemplo das traições. Repudiou

MÁQUINA MILIONÁRIA:

“A grande missão que a gente tem é fazer o partido crescer e dar estrutura, para, quem sabe, uma reeleição do nosso presidente. Mas isso tem que passar pelas municipais” destacou. 

Julian, acrescentou ainda, que os partidários tem que ter o viés ideológico, mas também habilidade política, sugerindo flexibilidade em algumas pautas. 

CASO DELEGADO WALDIR COMO LÍDER:

“Nós somos governo, mas não concordamos com algumas situações. Eu posso conviver dentro da minha casa, dentro da escola, dentro do trabalho e não concordar com tudo”, afirmou o deputado.

O parlamentar ainda disse que mantém contato frequente com o presidente, mas que possui suas convicções pessoais, o que não o torna um traidor. 

MAIS UNIÃO:

Lemos pediu mais união, afirmando que o presidente não pode abrir mão de nenhum deputado do PSL, pois isso afetaria diretamente a governabilidade.

“Eu sou uma pessoa que procura unir. A minha função nunca foi dividir grupos dentro do partido."

Ao fim do extenso áudio, Julian Lemos reiterou sua conduta, afirmando que não se intimida com o grande volume de ataques que tem sofrido nas redes sociais e por meio de parte da imprensa.  

"Não tenho decepcionado em relação a minha conduta de deputado a ninguém que votou em mim." Finalizou.

Acompanhe na íntegra a fala do deputado, divulgada na noite de ontem (17) de Outubro.





Redação.

Marcos Cavalcanti

Marcos Cavalcanti é jornalista, e Mestre em Teologia. Trabalhou nas rádios Integração do Brejo de Bananeiras e Solânea FM de Solânea/PB - Nas Tvs, Gazeta e CNT/SP - Foi porta voz da Prefeitura Municipal de Santa Rita/PB - Atualmente é Assessor de Imprensa da Câmara Municipal de Santa Rita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar...